Tempo de Natal
Inserir subtítulo aqui

Tempo de Natal

Estamos bem próximos do dia de Natal, 25 de Dezembro, dia em que está convencionado no Mundo e no Calendário Comum, o nascimento físico do Mestre Jesus.

Este tempo esta cheio de Símbolos, Rituais e Tradições sendo estes dias marcados por um ritmo de euforia, grande parte da Humanidade anda correr e se acotovelando em diversas lojas e shopping para a compra dos presentes Natalícios.

A Doutrina Espírita não participa deste ritual, uma vez que o Espiritismo não tem rituais, contudo não é possível nos afastarmos e deixarmos de reconhecer que a Humanidade fica mais unida em torno do Mestre Jesus e lhe dedica mais tempo, criando assim um clima de grande fraternidade e ampliando a harmonia projetada para o Universo, pela qual também colaboramos com a nossa Prece.

Não poderemos ignorar que os reflexos do Natal tornam o homem mais atencioso para com aqueles que mais necessitam, estamos mais predispostos a dar, existem sempre as exceções como em tudo na vida, mas a indiferença dos dias fica mais esbatida e o amparo acontece quando menos se espera e quase sempre na forma mais diversa mas sempre benéfica e benevolente.

O Natal é sem dúvida uma festa de consumo e de excessos materiais, quase nos esquecemos para quem é a Festa do Natal, neste espaço de tempo criamos um culto ao Materialismo, listas de prendas, doces e desejos tudo a ser contemplado, passando de imediato ao estado físico.

Questionando o nosso consciente deveríamos pensar. Será que estamos no caminho certo?

Com sinceridade, sem extremos minimalistas, poderemos sem dúvida ofertar algo seja para adultos ou crianças, mas nos lembramos de quem é e para quem é esta Festa?

Aqui neste ponto começa a análise, esta Festa é para O Mestre Jesus, que nos mostrou o caminho da verdade e vida, exemplificou de como deverá ser realizado o nosso processo de evolução ou seja a nossa Reforma Intima.

O processo de renovação intima é o da consciencialização integral, assimilar dos ensinamentos do Mestre Jesus e dos conselhos dos Bons Espíritos, que apelam ao abandono das grandes ancoras que nos sepultam e fixam ás nossas imperfeições, O egoísmo, Orgulho, Vaidade a Indiferença e muitos outros, que seria necessário muitas linhas para os enumerar, vamos fazer deste tempo um compasso só e trabalharmos a nossa Reforma Íntima de forma permanente e constante.

Não somos máquinas para programar em determinada tarefa, somos seres humanos e como tal falíveis e suscitáveis ao erro, mas o importante é reconhecermos o erro e identifica-lo, fazendo deste uma aprendizagem por forma a não repetir, sem entrar em processos de autoflagelação seja físico ou psicologico.

È NATAL. Vamos tratar de reforçarmos no nosso compromisso que assumimos com os benfeitores, antes de reencarnamos neste corpo que agora nos foi concedido, aproveitemos todo este influxo magnético que retorna com energias renovadoras e nos sustentam a vontade para alicerçarmos a nossa posição no BEM.

Reflexão, Prece e Harmonia são os tônicos para esse revenir, não vamos ficar nesta escola chamada TERRA, muito mais tempo se não nos aprimorarmos e modificarmos os nossos objetivos.

A Festa é para o Mestre JESUS, assim sendo que lhe dediquemos o tempo e o perlonguemos sem esforço, com o avançar do trabalho reconheceremos o que ele nos queria dizer " Conhecei a Verdade e a Verdade Vós Libertará " só o trabalho no Bem nos elevará e nos afirma a Reforma Intima, e com isso a LIBERDADE.

                                                                                                  Autor: JP - Impressão Espírita - 18/12/2016