Ano Novo
Inserir subtítulo aqui

ANO NOVO

É no traço do tempo e em compasso com os dias e as noites que todos nós Espíritos imortais e milenares chegamos a mais um final de ano comum.

Estes dias decorreram e concretizam um ano, esse ano, que nada mais é senão um cintilar de Luz na nossa existência, criaturas em evolução que se revestem de um corpo material para realizarem o processo depurativo e burilador das nossas imperfeições.

Ainda assim importa refletir sobre o que deixamos para trás, neste recordar de tempo de um ano, mas não vamos mais atrás para não nos deprimirmos mais com a nossa incapacidade de realizar e concretizar objetivos do compromisso espiritual.

Analisando, que conseguimos no âmbito da renovação intima, que firmamos de acordo com o plano de início do ano que terminou, sim porque seguramente prometemos algo a nós mesmo que queríamos mudar, quebramos alguma meta?

Não vale apena neste momento chorar pelo tempo perdido, se queremos verdadeiramente continuar no processo renovador, então será necessário reunir tudo o que já foi conseguido e assim fortificarmos a nossa vontade.

O mundo e nós mesmos não nos modificamos de um momento para o outro, somos criaturas em progresso na senda do Bem Maior, mas são os vários pontos de partida e arranques de vontade e querer que nos elevam, pois tudo o que realizamos na esteira do Bem já mais se perderá.

Consideremos o Ano Novo como mais uma página do grande livro da nossa vida que se encontra por escrever, vamos iniciar esse primeiro parágrafo com letras bem grandes e escrever,

EU QUERO !

Neste querer consideramos a ação, que no fundo não é mais que a materialização da nossa Fé.

Comecemos estas ações concretas por nós mesmos, vamos nos organizar em nossas vidas, parar com as correrias do dia-a-dia que numa grande parte das vezes não se justificam, apenas corremos para o supérfluo e da opulência material.

Vamos olhar mais ALÉM, para onde o nosso olhar físico não alcança é nesse ponto que devemos fixar o nosso alvo, vamos abrir o coração, tornarmos mais coerentes com o que dizemos para nós mesmos e disponibilizamos para os outros, que partilham o mesmo caminho ao nosso lado.

Todos os dias temos solicitações para ajudar, se não as observamos possivelmente estamos pouco atentos ao que se passa ao nosso redor.

Que se deixe aquele vício que nos perturba e incómoda, abandonemos o mau humor, os movimentos agressivos das mãos no trânsito a maledicência, que se olhe para aquele colega ou familiar mais complicado, com toda a indulgência.

Vamos sorrir mais este ano e nos próximos milénios, abrir o coração e ouvir mais aqueles que nos procuram e se encontram perdidos sem esperança e lhes mostremos alguma LUZ, não nos desanimemos no cansaço dos dias, criemos e vitalizemos a alegria serena na nossa consciência, para que sejamos uma LUZ ainda que fraca mas persistente.

Meus Amigos, que o nome do Mestre nos Inspire hoje e sempre e nos ampare na força e vontade.

                                                                          Autor: Impressão Espírita - João Paulo - 28/12/2016