Tema - Nossos Filhos São Espíritos
Inserir subtítulo aqui

Os Nossos Filhos São Espíritos

A Família é a nossa principal base de desenvolvimento e aprendizagem, sendo o Lar, também a escola onde todos nós e contacto com os demais vamos moldando o nosso carácter e transformando as imperfeições em virtudes, numa grande parte das vezes, em lutas acerbas de sofrimento e dor, sob o nobre esquecimento do passado, libertando as tensões e fricções violentas registadas nas existências pretéritas, com a grande terapia do Amor, Perdão e da Indulgencia.

Nascemos na família mais adequada ao nosso processo regenerador e como consequência desse mesmo processo, programado, Divino e Justo, recebemos os filhos em nossos Lares, quando assim somos bafejados por essa grande Bênção.

Os recém-nascidos, como nossos filhos, nos chegam após a fase de maturidade, desenvolvimento e crescimento no útero da mãe que por norma se situa nas 40 semanas.

No fim desse tempo, temos nos braços a criatura mais querida e desprotegida que alguma vez nos foi concedida criar, olhamos como algo que faz parte do nosso corpo, quase como uma extensão.

Aquela criatura se nos apresenta com um corpo frágil, sem capacidade de se proteger ou alimentar, seu choro nos ativa todos os nossos instintos protetores de progenitores, as ações subsequentes são todas direcionadas naquele filho que tanto esperávamos, mas existe algo para o qual nem todos estamos preparados, uns por falta de conhecimentos outros pela escassez de esclarecimento.

A Doutrina Espirita nos esclarece nas pautas sábias dos Bons Espíritos sob informações idóneas e nas experiencias dos estudos desenvolvidos no campo cientifico, que nós todos somos criaturas com um passado, longo, milenar, bem como contamos com muitas existências e com espaços de tempo diferenciados entre nós.

Os pais unicamente fornecem o material físico, corpo de carne e osso, no qual o Espírito irá reencarnar para uma nova experiência, os traços físicos são como é óbvio dos progenitores sem duvida, mas o carácter, inteligência as tendências e inclinações dessa nova criatura que nos chega aos braços, já está definida, toda a sua estrutura moral e intelectual já se encontra num determinando estado de evolução, que se poderá ser de maior ou menor capacidade.

Cabe assim aos pais preparar e realizar um trabalho de educação, evolução e aprendizagem que devem transmitir e consolidar nessa criatura que agora chega para sua responsabilidade.

É importante identificar o mais cedo possível as caraterísticas positivas e negativas do nosso filho, a fim de podermos ainda numa condição precoce da sua vida, trabalhar no sentido de melhorar o que se apresenta de menos bom e elevar o que manifestamente já é de grande relevo no sentido positivo.

É verdade que numa grande maioria das vezes temos contacto com os nossos desafetos do passado e nos reunimos, agora em família mais próxima para resolvermos pela Lei do Perdão e da Caridade o que no passado realizamos de errado, bem como as ações com que prejudicamos ou fomos vítimas.

Nesta leitura conseguimos compreender de forma ainda que muito superficial, os grandes desentendimentos e dificuldades de relacionamento entre os pais e os filhos, claro está, que também não podemos descartar um espírito rebelde, que nos foi confiado, para com o nosso conhecimento e sabedoria pretérita, trabalhar e ajudar na modelação daquela criatura, que muitos chamam de insuportável pelo seu comportamento pouco aceitável.

Mas nem tudo são problemas e situações difíceis, temos crianças que se mostram muito capacitadas e com aptidões extraordinárias, comportamentos elevados logo nos primeiros anos de existência corpórea, seus conhecimentos em conseguir Ler, escrever e até começar a tocar instrumentos muito cedo, são sinais que não devem ser subestimados, jamais, mas sim desenvolve-los ainda mais.

Estas situações acontecem, seja em famílias de grau académico mais elevado seja mesmo em situações de iliteracia dos seus pais, o que prova que os progenitores não transmitem a inteligência ou conhecimento através dos seus genes.

Os nossos filhos são Espíritos, e tal como nós têm um programa de trabalho e existência neste planeta, e tal como nós todos também têm um período pré estabelecido de vivência entre os demais, claro que por incúria pode ser mais curto, mas se tudo correr dentro do plano, será cumprido o tempo concedido, podendo este ser mais longo ou mais curto de acordo com as necessidades dos vários envolvidos no trabalho, pois aqui temos dois campos a considerar os pais e os filhos.

Nada mais doloroso que os filhos partirem, para a pátria espiritual, antes dos pais, como se diz na gíria popular ...os mais velhos deveriam ir primeiro, este é o processo que deveria ser o normal..., mas assim não é... e pelas razões que já aqui analisamos é importante nos determos e consolidarmos estes ensinamentos em nosso coração.

A Dor da perda é imensa, parte de nós se perdeu, o coração fica destroçado a nossa força se perde no desânimo e muitas vezes na revolta que se acentua em palavras duras contra o criador, lagrimas de pranto duradouro que nos consome a vida e nos impedem de ver mais além.

É justo chorar e sofremos muito sem duvida, mas não podemos entrar em desespero, a Doutrina do Consolador Prometido, se apresenta como um dos maiores campos de esclarecimento da existência humana, ...quem somos de onde vimos e para onde vamos.... Como a certeza baseada na razão de que a vida não começa no berço nem acaba no túmulo, temos assim os meios de consolação que nos devem sustentar e ajudar no sofrimento, amparando no caminho difícil da superação da perda momentânea daqueles que tanto amamos e criamos com esforço desmedido.

A todos aqueles pais que de alguma forma sofrem e choram a perda dos seus amados filhos, o nosso sentimento fraterno e com muito carinho os abraçamos, lhes oferecendo as palavras consoladoras e os ensinamentos que provêm dos mais altos planaltos da espiritualidade, através da Doutrina dos Espíritos.

Recordemos sempre, Os Nossos Filhos são Espíritos, e o nosso Pai e Criador é Deus, que sabe sempre o que é melhor para nós, sem preferências ou inclinações e na sua sabedoria infinita é sempre Justo e Bom.

Impressão Espirita - Autor: João Paulo - 04/03/2018