Tema - O Ser e o Erro
Inserir subtítulo aqui

O Ser e o Erro

Errar é humano, em verdade somos ainda criaturas em evolução, num planeta onde também o erro tem a expressão da Prova e da Expiação.

Em todo o nosso percurso evolutivo, que se encontra registado na história, constatamos que a atitude do ser humano em se autocriticar e censurar ocorre à séculos.

Estando o erro associado ao nosso dia a dia existem pessoas que se sentem constantemente pressionadas pelos seus erros ou ações pouco dignas, mas não se preocupam em assimilar esses erros, sem colocarem como regra a autopunição ou crítica destrutiva a si mesmas. Neste alinhamento do pensamento criam no seu íntimo uma crosta de fracasso e se colocam diminuídas ou mesmo incapazes de compreender quem são e para onde pretendem ou devem  ir.

É facto que devemos reconhecer os nossos erros, passo inadiável, contudo devemos analisar as nossas ações , comportamentos, ideias e pensamentos, aceitando isso com parte do nosso ser, ainda que por vezes estes se encontram bem disfarçados no nosso intimo. Com este ponto de partida vamos evitar um acumular de angústias e processos negativos que se vão revelar contra nós mesmos, por nos acharmos impróprios de conseguir realizar a mudança.

Vamos olhar mais ALÈM e ver essas experiencias mal sucedidas, erros, como aprendizagens do próprio ser em evolução.

Mas é imperativo estribarmos esta forma de qualificação, não no desleixo, fraqueza ou como algo que usamos para justificar tudo o que realizamos, fomos e somos de menos bom, mas sim como uma autoanálise e construção intima de teor elevado.

Todos os dias observamos pessoas, colegas, familiares sempre de mau humor, esse estado deprimente constante cria perturbações físicas e Espirituais, revelando também um pouco do seu íntimo e a forma como pensam e analisam os que rodeiam, poderemos assim catalogar isso como uma fraqueza ou erro aumentando uma psicose de baixa autoestima e pouca confiança neles mesmos, abrindo sem nos darmos conta de "Plugs" a entidades Espirituais de baixa vibração.

É incondicional a nossa reforma intima, viver com alegria, confiança e tranquilidade, vigiarmos os pensamentos e assim nos irmos robustecendo e encarando com mais sensibilidade o nosso dia-a-dia com a interação com os demais que nos rodeiam.

Todos nós erramos e nesse contexto não devemos apontar, como forma destrutiva e de humilhação os erros do nosso próximo, a atitude correta será de indulgencia e auxilio afim de este conseguir ultrapassar essa faixa de caminho pouco recomendada, teremos neste campo uma dupla aprendizagem, o que reconhece o seu erro e aquele que se reforça no trabalho edificante da ajuda sem esperar retorno.

Não vamos encarar o erro como se fosse normal, mas sim como algo que devemos analisar por forma a não repetir determinada posição, acusação ou pensamento.

Quantos menos erros, mais força moral e interior vamos aquilatar, aumentando assim a confiança em nós mesmos bem como o carácter.

A vontade é um atributo do espírito, mas antes mesmo da ação temos o pensamento que se recria na ação, neste ponto vamos criar um crivo e disciplinar os nossos pensamentos sendo o resultado seguramente feito ações e palavras mais justas e com menos ERROS.

                                                                                               Autor: JP - 07-12-2016  - Impressão Espírita